SEJA RESPONSÁVEL PELA SUA SEGURANÇA, SEMPRE!

No texto a seguir abordamos um caso real de um acidente envolvendo dois trabalhadores, resultando no óbito de um deles e gerando graves lesões no outro. Este acidente poderia ter sido evitado se as medidas de segurança tivessem sido adotadas.

Em um dia comum de trabalho, Brad Livingston foi designado a realizar um trabalho de soldagem de dois furos em um tanque de óleo em um poço. Era um trabalho de rotina que ele e seu soldador mais experiente tinham feito muitas vezes antes. E esse foi o problema.

“Quando você continuamente faz algo e nada dá errado, você para de pensar no risco,” diz Livingston.

Neste dia, eles tomaram a decisão errada de assumir a quantidade de óleo presente no tanque, que havia sido informada pelo supervisor do poço, e deixaram de verificar o nível do óleo por conta própria.

“O nível do líquido na realidade não era o que nos foi informado”, ele diz. “Poderíamos ter verificado este nível em minutos, mas nós não o fizemos para economizar tempo ou horas extras.”

O soldador que o acompanhava nesta atividade, um experiente trabalhador além de pai, marido e avô, não sobreviveu à primeira explosão. Livingston lembra de ser atingido por uma bola de fogo e lançado no ar antes de aterrissar no segundo tanque, suas roupas estavam em chamas. Neste momento, o segundo tanque explodiu, lançando-o novamente no ar antes que ele caísse no chão.

“ Eu estava em condições físicas muito boas , era corredor e tinha 32 anos , mas o fogo e as chamas na minha roupa desapareceram com as minhas forças , somente tive forças de rolar 3 vezes no chão, no caminho para o hospital lembro de ter falado minhas últimas palavras e foram as últimas , pois somente voltei a falar depois de dois meses e meio.”

Livingston sofreu queimaduras de segundo e terceiro grau em mais de 63% do seu corpo, deixando-o incapaz de respirar sem o uso de aparelhos impossibilitado de abraçar suas três filhas por muito tempo, como muitos pacientes que Jamie Heffernan atende diariamente.

Heffernan é a enfermeira chefe da Unidade de Tratamento de Queimados do Centro Médico da Universidade do Texas. Ela é capaz de avaliar os padrões das queimaduras de seus pacientes e saber quem estava usando vestimentas antichama. “As vestimentas antichama não são todas iguais”, diz ela.

Há enormes diferenças entre tecidos e vestimentas que atendem a NFPA 2112, porque um tecido com um resultado de 50% ou menor de queimadura corporal em um fogo repentino de três segundos é suficiente para atender a exigência da norma. Infelizmente, alguns profissionais de segurança do trabalho aceitarão qualquer produto que atenda o requisito normativo, mesmo com valores de 40% de queimaduras ou mais.

“Isso me choca, me causa repulsa saber que algo que pode queimar alguém em até 49,9% do seu corpo seja permitido e regulamentado por norma,” diz Heffernan.

Ou seja, não basta atender à norma, os responsáveis pela escolha da vestimenta antichama precisam considerar as diferenças de desempenho entre os tecidos antichama, o nível de qualidade dos seus componentes e o processo de fabricação da confecção.

Nos casos em que as queimaduras representam mais de 20% do corpo, a reação pode se tornar um risco maior do que a lesão da queimadura em si como resultado de uma resposta sistêmica do organismo. Tratar as superfícies feridas geralmente se torna uma preocupação secundária em detrimento do controle das reações internas do organismo. Caso contrário, os pacientes podem morrer dentro de cinco dias devido a falência múltipla de órgãos.

Para aqueles que sobrevivem, o tratamento das queimaduras pode durar por toda a vida e envolve cirurgias com internações, tratamentos ambulatoriais, reabilitação, e muitas vezes, tratamento psicológico.

“O que muitos não sabem é que 30% das pessoas têm transtorno de estresse pós-traumático debilitante após sofrer uma queimadura,” diz Heffernan.

Livingston conta sua história com frequência, não era esperado que ele sobrevivesse, muito menos que ele voltasse a andar. Por esse motivo, ele faz questão de dizer às pessoas que nunca vale a pena improvisar e deixar de realizar procedimento de segurança, seja por qual for o motivo.

Roupas comum não são aceitáveis onde há riscos de fogo repentino. Ele encoraja as pessoas a exigir vestimentas antichama confeccionadas com tecidos de marcas renomadas e comprovadas pelo mercado, além de usá-las diariamente, porque você nunca saberá quando pode ocorrer uma situação de perigo.

“O sucesso nunca é medido em dinheiro. “O sucesso é sempre medido em voltar para casa sã e salvo.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Please solve the equation below: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.